terça-feira, 19 de julho de 2016

Sindicato constata irregularidades em postos de serviços de Niterói e São Gonçalo

O Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região (SVNIT) saiu às ruas e visitou diversos postos para fiscalizar as condições de trabalho dos vigilantes. A iniciativa acontece após o Sindicato receber diversas denúncias através da seção Fale Conosco no site da entidade. Apesar das frequentes investidas do SVNIT, ainda foram identificadas irregularidades e descumprimentos da Convenção Coletiva e da CLT.

Na Defensoria Pública, em Niterói, os vigilantes estão com salários, tíquetes refeição e transportes em atrasos. O Sindicato cobrou uma posição da Defensoria Pública em relação à empresa Rota Vigilância. Apesar de não dar condições para os trabalhadores, a empresa ainda ameaçou os vigilantes de cortes nos salários em caso de faltas. Questionada, a Defensoria informou que havia liberado o pagamento da fatura de maio/2016 nesta semana. O motivo do atraso seria a falta de certidões da Rota Vigilância. A empresa e o órgão foram comunicados que o Sindicato vai solicitar mediação junto ao Ministério Público do Trabalho para tratar do assunto.

O caso se repete no posto do Ministério da Agricultura, em Niterói, onde a mesma empresa presta serviços. No local, vigilantes foram demitidos e não receberam suas rescisões. O SVNIT vai levar o caso ao MPT e pedir o bloqueio de faturas para pagamentos de indenizações. A situação é idêntica para os vigilantes que trabalhavam no IML e eram da empresa VS-Brasil e foram dispensados também não receberam suas rescisões. O caso também será levado ao MPT.

Na loja C&C, na divisa entre Niterói e São Gonçalo, o SVNIT identificou porteiros realizando a função de vigilantes utilizando rádios de comunicação interna e para rondas externas. Os porteiros ainda estavam fardados como se fossem vigilantes criando uma falsa sensação de segurança para os clientes. O Sindicato vai denunciar no MPT as empresas C&C e Solidez por desvio de função.

“Não vamos abaixar a nossa cabeça para os problemas que a nossa categoria está sofrendo. Vamos denunciar todas as empresas que estão usando o desvio de função para se beneficiar. O Sindicato continua atento na defesa dos direitos dos vigilantes”, afirma Cláudio José Vigilante, presidente do SVNIT que foi acompanhado pelo diretor Adilson Vigilante.


Em um posto de gasolina na cidade, vigilantes foram contratados para realizar a segurança sem equipamentos essenciais para desempenho da função. A empresa contratante não forneceu colete a prova de balas, armas e munição para os vigilantes. O SVNIT já notificou a empresa e aguarda a adequação. 

Fonte: Imprensa SVNIT

Um comentário:

  1. Srs:Aproveitando venho informa-lhes que façam também vistorias nas lojas, extras supermercados q/se localizam em São Gonçalo e Niterói,pós nelas á porteiros atuando como vigilantes em diversos procedimentos,abordando suspeitos de furtos,acompanhando(escolta)de retirada de dinheiro dos caixas(sangria),trabalhando em escalas não convencionais a da função.Isso merece a atenção dos senhres!

    ResponderExcluir