segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Segurança de shopping é enterrado neste domingo. SVNIT presta assistência à família

A manhã deste domingo (15) amanheceu chuvosa. O céu nublado refletia os sentimentos da família de Renato da Silva Costa, o segurança do shopping Bay Market que foi baleado na sexta (13) durante um assalto, enquanto exercia o ofício da sua profissão. Renato tinha 28 anos e foi enterrado às 10h, no Parque da Paz, no Pacheco, em São Gonçalo. 

De acordo com a tia dele, Shirley Conceição, de 52 anos, ele era um "menino de ouro", trabalhador, alegre, cheio de saúde e de planos para o futuro. "A família está arrasada com essa situação. Meu irmão nem consegue falar, a pressão dele ontem foi nas alturas. Contaram para gente que ele foi ver o tumulto, achando que fosse uma briga, e levou o tiro, mas não sei se foi o que aconteceu de fato. Ele até colocou o braço na frente para se defender. Estamos inconsoláveis", atesta Shirley. 

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e Região, Claudio José de Oliveira, também estava no enterro dando apoio à família e cobrou um posicionamento oficial do shopping quanto ao que realmente aconteceu na sexta-feira. 

"Até agora só temos boatos. Demorei um tempão para saber se o Renato era de fato um segurança ou um porteiro do local. Inclusive, tenho informações de que no shopping tem mais porteiros do que seguranças, o que coloca todos em risco, já que um pessoal não habilitado acaba exercendo uma função indevida. Estamos preocupados com a ocultação de informação e, como amanhã é feriado, na terça vamos protocolar uma denúncia na delegacia para que o local seja investigado. Vamos também enviar um ofício para a empresa que contratou o segurança", afirma Claudio.  

Renato era um funcionário terceirizado do shopping. Trabalhava na empresa SL4, cuja sede fica localizada em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. De acordo com Claudio, a empresa também não se posicionou em relação à tragédia. "Nossa intenção é garantir que a família de Renato receba o pagamento da indenização pelo ocorrido, pois é o direito deles, além de ser o mínimo num momento como esse", diz, consternado. 

O Bay Market foi procurado para esclarecer sobre o número de porteiros e seguranças contratados pelo shopping e sobre a demora na resposta ao Sindicato dos Vigilantes de Niterói e Região, mas ainda não obtivemos resposta.

Vítima ainda chegou a ser levada para o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), mas não resistiu aos ferimentos.

Memória - O crime aconteceu na noite de sexta-feira (13). De acordo com testemunhas, os assaltantes chegaram em motos e renderam funcionários, que foram obrigados a levá-los ao estoque onde ficam os celulares. Os aparelhos foram colocados em duas bolsas de viagens. O segurança, Renato da Silva, de 28 anos, ainda foi levado com vida até o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), porém não resistiu aos ferimentos. 

Policiais militares do 12º BPM (Niterói) foram chamados e fizeram buscas aos criminosos, mas não encontraram ninguém. Neste sábado, a Polícia Militar intensificou operações de buscas aos autores do crime, mas, até o momento, não houve prisões.

Procurado, o shopping Bay Market não informou se o vigilante trabalhava armado e lamentou a morte do funcionário. “É com imenso pesar que recebemos o falecimento de Renato Silva, segurança do Shopping, na noite de sexta-feira (13). Deixamos nossas mais sinceras condolências à família e amigos”, diz o comunicado.

A Casas Bahia, em nota, informou que telefones celulares foram roubados, porém a empresa não divulgou o valor levado pelos criminosos.

A Divisão de Homicídios (DH) de Niterói informou que imagens de câmeras do shopping e da região foram recolhidas e serão utilizadas para ajudar na investigação para tentar identificar os autores do crime.

Fonte: O Flu

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Estatuto da Segurança Privada é aprovado em Comissão e segue para o plenário do Senado

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou na manhã desta quarta-feira (11) o projeto do Estatuto da Segurança Privada. O projeto segue para votação no Plenário. Esse é o último passo para o projeto virar lei.

“Foi mais um avanço graças à nossa luta em conjunto com a Confederação Nacional dos Vigilantes. Para colocar toda a vigilância sobre a égide da legalidade. E a obrigatoriedade para a fiscalização por parte da Polícia Federal”, afirmou o deputado Chico Vigilante na saída da sessão.

A comissão também aprovou o regime de urgência ao projeto. Chico Vigilante explica que, agora, o Estatuto da Segurança Privada tem prioridade para votação em relação a outras propostas em tramitação na Casa.

“Iremos conversar com o presidente da Casa, senador Eunício Oliveira, para que ele paute o projeto para votação pelo plenário ainda este ano e possa virar lei, o que é fundamental para a segurança privada do Brasil”, afirmou

O distrital reconheceu os esforços de parlamentares das duas casas para o avanço da matéria. “Importante agradecer ao deputado Wellington Roberto (PR/PB) e aos senadores Vicentinho Alves (PR/TO) e Paulo Paim (PT/RS) que foram gigantes na defesa dos interesses dos vigilantes”, afirmou.

Para o presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes, José Boaventura, o projeto atualiza a lei de 1983 e vai gerar empregos. 
“O projeto atualiza uma legislação de quase 35 anos, valorizando nossa profissão. Ela legitima e regulariza a atuação dos vigilantes em estádios de futebol, eventos e outras áreas gerando mais empregos para a categoria”, afirmou.

Boaventura conta que o projeto chegou da Câmara com alguns equívocos que coibiam ao trabalho dos vigilantes, como um artigo que praticamente proibiria o direito à greve. “Nós atuamos para que houvesse a supressão de alguns artigos e fomos acatados pelo relator do projeto”, lembrou.

Projeto
O Estatuto da Segurança Privada estabelece normas que deverão ser seguidas pelas empresas de segurança, remetendo à Polícia Federal a atribuição de autorizar seu funcionamento e de controlar e fiscalizar a atuação delas com a cobrança de taxas.

O estatuto irá disciplinar as atividades de segurança de eventos, segurança pessoal privada, escolta armada, monitoramento, dentre outros serviços relativos ao setor.

A proposta prevê que o Ministério da Justiça poderá instituir um conselho nacional de segurança privada, de caráter consultivo, com o objetivo de assessorar o ministro da Justiça em assuntos de segurança privada e elaborar políticas para o setor.

Fonte: Dep. Chico Vigilante

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

SVNIT garante na Justiça fim da escravidão no Santander

Há mais de um ano quando o Santander junto com as empresas de segurança Transvip e Sunset obrigavam os vigilantes a tirar o horário de almoço em horários absurdos, antes do expediente bancário (9h às 10h) ou após o término (16h às 17h), a direção do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e regiões (SVNIT) iniciou uma verdadeira guerra para impedir a volta dos tempos de escravidão acionando o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e a Justiça do Trabalho de Niterói. A imposição configura descumprimento da legislação trabalhista e afeta a saúde do trabalhador.

Na última semana, o SVNIT obteve mais uma grande vitória na defesa dos direitos da categoria. A juíza da 2ª Vara do Trabalho de Niterói decidiu julgar procedente o pedido do SVNIT e condenar a empresa Sunset Vigilância e Segurança LTDA a organizar as escalas de trabalho e guarnecer os postos de serviço nas dependências do Banco Santander de modo que os vigilantes possam usufruir o intervalo para alimentação e descanso no horário compreendido entre 11h e 15h. A empresa tem prazo de 30 dias para cumprir a decisão em todas as unidades.

O processo foi conduzido pelo Departamento Jurídico do Sindicato através do escritório Acrísio de Moraes Rego sob a tutela das advogadas Drª Clarissa Costa, Drª. Cristina e Drª Patrícia.

A empresa Sunset ainda tentou usar alguns funcionários como testemunhas no processo promovendo uma verdadeira coerção ou assédio, uma vez que os funcionários, temendo perder o emprego, alegaram que a afirmativa do Sindicato não era verdadeira. No entanto, a farsa foi desmontada após pedido do SVNIT para que a empresa apresentasse as folhas de pontos, o que acabou comprovando a denúncia.

O banco Santander ainda tentou alegar que o SVNIT não teria legitimidade para defender os trabalhadores. A juíza da 2ª Vara do Trabalho garantiu a representação e manteve a ação em tramitação.

A empresa Transvip, entretanto, entregou o contrato com Santander assim que o Sindicato acionou a Justiça alegando que os valores não cobririam as despesas com rendição de almoço. A Sunset, portanto, assumiu todos os postos de trabalho. A decisão também determinou a notificação imediata dos advogados da empresa e do banco para imediato cumprimento da sentença.

Para fazer cumprir a decisão, a diretoria do SVNIT vai visitar todas as agências do Santander nos municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito e Tanguá para também informar aos trabalhadores dos horários para almoço e repouso.


“Nosso trabalho só é vitorioso quando a categoria acredita no sindicato. Agradecemos aos vigilantes que prestam serviço no Santander na nossa região pela confiança. Vamos continuar buscando garantir os direitos dos vigilantes em todas as esferas”, afirma Cláudio Vigilante, presidente do SVNIT.

Fonte: Assessoria SVNIT

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Mais duas empresas vão pagar a cesta assiduidade aos vigilantes de Niterói e região

Mais duas empresas se comprometeram a pagar a cesta assiduidade conforme previsto na CCT 2016/2017 aos vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região. A decisão foi informada ao Sindicato (SVNIT) durante mesa redonda no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de Niterói, nesta terça-feira (26/9) a pedido da direção do SVNIT. O pagamento já deverá ser realizado pelas empresas Caracal e CTS-VIG a partir do próximo salário.

A empresa CVA Vigilância não compareceu à audiência e não enviou representantes. A direção do Sindicato vai solicitar ao MTE a fiscalização da empresa no cumprimento da CCT e também da CLT. A cesta assiduidade é concedida aos vigilantes que não possuírem faltas anotadas conforme a Cláusula 13ª da CCT.

As empresas Caracal e CTS-VIG ainda terão que fornecer mensalmente ao SVNIT a listagem com os nomes dos vigilantes beneficiados como forma de comprovar o pagamento.

Para o presidente do SVNIT, Cláudio Vigilante, está é a resposta para dirigentes que não se preocupam em defender os direitos dos trabalhadores. “A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e regiões sempre disse que não ia aceitar que as empresas descumprissem a CCT assinada e homologada no MTE. Aproveito para parabenizar a direção das empresas CARACAL e CTS-VIG por entender que realmente os Vigilantes têm direito à cesta assiduidade. O SVNIT espera que as demais empresas que ainda descumprem a Convenção Coletiva sigam o mesmo pensamento e paguem aos trabalhadores”, afirma Cláudio que estava acompanhado do vice-Presidente da entidade, Paulo Henrique.

Vitória na justiça


No início de setembro, O Sindicato dos Vigilantes de NIterói, São Gonçalo e região (SVNIT) conquistou uma importante vitória para os trabalhadores. A diretoria decidiu enfrentar os patrões e cobrar o cumprimento das obrigações contidas na CCT. Com mais de 30 ações judiciais cobrando o pagamento da cesta assiduidade, a Justiça do Trabalho deu a primeira decisão favorável aos vigilantes e determinou que a empresa de segurança Verzani Sandrini efetuasse o pagamento da cesta de forma retroativa.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINARIA



Sindicato dos Vigilantes e Empregados em Empresas de Segurança, e Vigilância, de Transportes de Valores e Similares dos Municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ.
CNPJ nº. 30.184.261.0001/70 Registrado no MTE sob o nº. 24000.003037/90

Edital de Convocação

O Presidente do Sindicato dos Vigilantes e Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância, de Transportes de Valores e Similares dos Municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ no uso das suas atribuições Estatutárias convoca todos os associados para a Assembleia Geral extraordinária no dia 10 de Outubro de 2017, às 09:00 nove horas) em primeira convocação e às 09:30 (nove horas e trinta minutos) em segunda e última convocação com qualquer números de associados  presentes, no seguinte endereço: Rua Drº. Gustavo Lira Nº 15 fundos (Sede do Sindicato), a fim de discutir e deliberar a seguinte Ordem do dia: 1) eleição de delegados e observadores ao IX Congresso da CNTV, 2 Assuntos Gerais. Niterói, 26 de Setembro de 2017.  Claudio José de Oliveira presidente.                                                                                                 


Trabalhadores farão ato no dia 3 em defesa das empresas públicas

Várias categorias de trabalhadores e diversos segmentos sociais realizam, no próximo dia 3 de outubro (terça-feira), um ato em frente ao prédio da Eletrobras, na Avenida Presidente Vargas, centro do Rio de Janeiro, para denunciar a privatização e desmonte das empresas e dos serviços públicos brasileiros. A concentração está prevista para 11h. 
A manifestação é organizada pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas. Diversas entidades estão abraçando o ato, porque ele deixa de ser somente relacionado à Petrobras e passa a ser em defesa das empresas públicas que estão sendo entregues ao capital internacional.
A data da manifestação é emblemática. No dia 3 de outubro de 1953, o presidente Getúlio Vargas sancionava a Lei 2004, que criou a Petrobras. Após a concentração, os manifestantes farão uma caminhada até a sede do BNDES, e depois rumam à Petrobras, onde o ato será encerrado. 
As principais empresas responsáveis pela atuação anticíclica do Estado brasileiro durante a crise mundial foram Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES, a própria Petrobras e a Eletrobras. O que demonstração a importância que o Estado tem para o desenvolvimento de uma nação.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Após pedido do SVNIT, juiz manda empresa pagar cesta assiduidade

O Sindicato dos Vigilantes de NIterói, São Gonçalo e região (SVNIT) conquistou uma importante vitória para os trabalhadores. A diretoria decidiu enfrentar os patroes e cobrar o cumprimento das obrigações contidas na CCT. O SVNIT moveu mais de 30 ações judiciais cobrando o pagamento da cesta assiduidade. Nesta semana, a Justiça do Trabalho deu uma decisão favorável aos vigilantes e determinou que a empresa de segurança Verzani Sandrini efetue o pagamento da cesta, no valor de R$ 75, e de forma retroativa.

Na setença, o juiz ainda manteve o Shopping Partage como responsável solidário no processo. Isso obriga o shopping a pagar as dividas caso a empresa não cumpra a determinação.
O pagamento da cesta assiduidade estava prevista na Convenção Coletiva de Trabalaho 2016/2017. Outras ações tramitam na Justiça e o SVNIT irá informar quando as sentenças forem publicadas.

A prova disso é que movemos mais de trinta ações de cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho e já temos a primeira decisão judicial favorável aos vigilantes  da empresa segurança Verzani Sandrini, a empresa terá que pagar  retroativo o valor de R$ 75.00 reais a titulo de assiduidade para todos os vigilantes que prestam serviço na nossa base territorial, além disso o Juiz manteve o  Shopping Partagem como solidário no processo pois deveriam fiscalizar os direitos dos vigilantes no contrato e não fez.

A cláusula determinava o pagamento do prêmio por assiduidade para todos os vigilantes que não possuíram faltas no período.

"Não nos vendemos e nem abaixamos a cabeça para os empresários. Estamos na luta em defesa da nossa categoria. Os patrões precisam entender que não somos escravos e aprender que normas são para serem cumpridas", afirma Cláudio Vigilante, presidente do SVNIT.

A primeira grande vitória nas ações pela cesta assiduidade se deve à confiança dos vigilantes no trabalho do Sindicato e à competência do departamento jurídico da entidade e do escritório Acrísio de Moraes Rego, comandado pelas advogadas Dra. Clarissa Costa, Dra. Patrícia e Dra Cristina. 
Todo o trabalho vem sendo realizado em parceria com os Sindicato dos Vigilantes de Petrópolis e região, Duque de Caxias e Itaguaí e Seropédica. Todas as entidades moveram ações contra as empresas cobrando o pagamento da cesta assiduidade. 

Além disso, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) foi acionado para promover fiscalizações nas empresas para averiguar o descumprimento. Petrópolis e Duque de Caxias também já estão garantindo o direito dos trabalhadores. Alguns acordos com as empresas já resultaram no pagamento da cesta.

O vigilante deve ficar atento às decisões. Elas têm validade apenas para os trabalhadores da base territorial que o Sindicato autor das ações representa. Por exemplo, uma decisão favorável para o Sindicato de Niterói e região, não tem valor para o município do Rio.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Niterói-Manilha tem perseguição com granada e tiros após roubo de carga no RJ

Uma troca de tiros assustou motoristas na Niterói-Manilha (BR-101) nesta terça-feira. Agentes da Polícia Rodoviária Federal abordaram um veículo, que saiu em fuga com 4 indivíduos armados de fuzis, dando início a perseguição.

Os criminosos tinham assaltado um caminhão carregado de celulares e um veículo de escolta armada, depois de fazer dois vigilantes reféns. Os aparelhos roubados foram colocados numa van, enquanto o caminhão foi localizado pela PRF.


Na fuga, os bandidos arremessaram granadas que não explodiram e atiraram contra os policiais, que responderam. O carro onde estava os criminosos bateu e eles fugiram a pé para uma comunidade em São Gonçalo. Os vigilantes foram resgatados.

Fonte: G1

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

SVNIT quer vigilantes nos caixas eletrônicos e Casas Lotéricas de São Gonçalo

Os vigilantes de São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, podem ter duas leis municipais em benefício da categoria. O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região (SVNIT), Cláudio Vigilante, entregou duas propostas de lei ao vereador da cidade, José Carlos Vicente( PSL), que podem gerar emprego e dar mais segurança para usuários de caixas eletrônicos nas agências bancárias.

A primeira proposta é a criação de uma lei municipal que obrigue a permanência de vigilantes 24 horas nas agências bancárias. O objetivo é dar mais segurança aos usuários e inibir ações criminosas como ataques a caixas eletrônicos que funcionam foram do horário de expediente normal dos bancos. A medida também proporciona mais segurança aos usuários e ajuda a identificar possíveis saidinhas de banco.

Outro projeto é a implantação de vigilantes nas Casas Lotéricas. Atualmente, as loterias são usadas como correspondentes bancários e não oferecem nenhum tipo de segurança. Esta medida tem apoio do Sindicato dos Bancários.


“Na próxima semana vamos apresentar os mesmos projetos nas Câmaras de Vereadores de Niterói, depois em Itaboraí, Maricá e Rio Bonito. O objetivo é que todos os municípios da nossa base tenham essas leis que garantem mais segurança. Estamos seguindo a orientação da nossa Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV)”, afirma Claudio Vigilante, que estava acompanhado do diretor do SVNIT, Adilson.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

NOVO MODELO DA CNV JA ESTA DISPONIVEL PARA VIGILANTES ASSOCIADOS.



No dia 10/08/17, teve início a confecção do novo modelo da Carteira Nacional dos Vigilantes (CNV), no Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e regiões. Mais de trinta vigilantes associados procuraram o Sindicato para trocar a Carteira de papel pela de PVC  Amarela com mais durabilidade.
Com a autorização da PF, quem tem obrigação de emitir a CNV é a empresa em que o vigilante trabalha. No entanto, o Sindicato está fazendo a segunda via em um material melhor, mais durável e mais bonito, sem qualquer custo para o associado.
O sindicato utiliza a foto cadastrada no sistema da Polícia Federal. Algumas Carteirinhas podem sair sem foto, pois imprimimos o que está no sistema do DPF.
O porte da Carteira Nacional do Vigilante é obrigatório para todos aqueles que estão atuando na profissão. 







O Diretor do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e regiões Dilson Vasconcelos e Adilson Vigilante esteve hoje no posto de serviço entregando aos Vigilantes Associados a Nova Carteira da CNV em PVC Amarela.

A diretoria do Sindicato Svnit